Apresentação




O processo de degradação a que os ecossistemas naturais vêm sendo submetidos desde o período colonial até os dias atuais, tem resultado num conjunto de problemas ambientais, como a extinção de várias espécies da fauna e da flora, as mudanças climáticas locais, a erosão dos solos e o assoreamento dos cursos d’água. Numa escala global, o desmatamento tem contribuído para os problemas ambientais que afligem a humanidade na atualidade, como o efeito estufa, a escassez de água em determinadas regiões e as grandes mudanças climáticas. Em todo o território nacional inúmeras áreas, que pela sua importância ecológica, são definidas pela legislação ambiental como de preservação permanente e, portanto, deveriam ter a vegetação original preservada, foram convertidas em áreas agrícolas, urbanas e pastagens ou simplesmente degradadas e abandonadas. Além destas APPs, outras tantas áreas legalmente apropriadas para a agricultura encontram-se improdutivas, submetidas a variados níveis de degradação do solo, com impactos diretos nos cursos d’água, na vegetação, na fauna e obviamente na população humana. Neste cenário, este evento representa uma oportunidade de troca de experiências entre os diferentes representantes de entidades públicas e privadas, possibilitando assim, mostrar as novidades das novas pesquisas, sobre modelos, técnicas, produtos e equipamentos empregados na restauração de áreas degradadas. Além disto, busca contribuir para a conscientização da sociedade sobre a problemática da degradação ambiental e da urgente necessidade de frear e reverter este processo.



Objetivo

  • Promover um fórum de discussão sobre os problemas relacionados à restauração de áreas de preservação permanente, reserva legal e áreas degradadas em geral;
  • Divulgar técnicas e modelos de restauração florestal e de outros ecossistemas empregadas nas diferentes situações de degradação ambiental.
  • Promover a difusão tecnológica e o intercâmbio entre professores, pesquisadores, gerentes e técnicos de empresas florestais, estudantes universitários, fabricantes de produtos e prestadores de serviços no contexto da restauração ecológica;
  • Criar condições para transferências de informações entre diferentes grupos do setor público e privado.


Público de interesse

  • Técnicos de empresas florestais, de mineração e de geração de energia;
  • Pesquisadores e profissionais da área;
  • Gerentes e técnicos de órgãos públicos
  • Estudantes de graduação e pós-graduação em ciências afins à restauração ecológica.


Coordenação Técnica

Prof. Sebastião Venâncio Martins – DEF/UFV

Engenheiro Florestal, Mestre em Ciência Florestal e Doutor em Botânica/Restauração.

Co-Promoção

Aperam BioEnergia; Arcelormittal Bioflorestas; Cargill Agrícola; Celulose Nipo-Brasileira; CMPC Celulose do Brasil; Copener Florestal; Desarrollos Forestales San Carlos; Duratex; ERB Aratinga; Fibria Celulose; Frondosa Participações; Gerdau Aços Longos; Jari Celulose, Papel e Embalagens; Klabin; Lwarcel Celulose e Papel; Metalsider; Saint-Gobain PAM Bioenergia; Stora Enso Florestal RS; Suzano Papel e Celulose; Vallourec Florestal; Veracel Celulose; Votorantim Siderurgia; Weyerhauser.