• Home
  • Notícias
  • Exportação de celulose até novembro de 2017 ultrapassa resultado de 2016 inteiro

Exportação de celulose até novembro de 2017 ultrapassa resultado de 2016 inteiro

Publicado em

A exportação de celulose até novembro deste ano atingiu US$ 5,7 bilhões, registrando aumento de 14,1% ante ao mesmo período de 2016. O desempenho superou o resultado obtido em todo o ano passado. A matéria-prima é responsável por 75% do setor que inclui papel e painéis de madeira, que registrou um total de US$ 7,7 bilhões em exportações no período. Os dados foram divulgados pela Ibá.

 

A exportação de celulose até novembro deste ano atingiu US$ 5,7 bilhões, registrando aumento de 14,1% ante ao mesmo período de 2016. O desempenho superou o resultado obtido em todo o ano passado. A matéria-prima é responsável por 75% do setor que inclui papel e painéis de madeira, que registrou um total de US$ 7,7 bilhões em exportações no período. Os dados foram divulgados pela Ibá (Indústria Brasileira de Árvores) que representa toda a cadeia produtiva.


Os compradores campeões da celulose brasileira são a China e a Europa, responsáveis por montantes de US$ 2.248,00, representando 39,2% de participação, e US$ 1.823,00, sendo 31,8% do montante, respectivamente. A surpresa fica por conta do mercado da América Latina, que adquiriu 64,6% a mais de celulose em 2017 em comparação com 2016.


A produção também aumentou neste período, chegando a 17,6 mil toneladas nos primeiros 11 meses de 2017, registrando majoração de 3,3%. Em novembro 1,7 mil tonelada de celulose foi produzida no Brasil, sendo que no mesmo mês de 2016 a produção da matéria-prima ficou em 1,58 mil tonelada. O crescimento na produção foi de 7% no período.


Papel

A celulose é a vedete da produção e exportação do setor e é um dos pontos fortes da indústria de Mato Grosso do Sul, com as duas gigantes situadas em Três Lagoas, a 338 quilômetros de Campo Grande. Juntas, a unidade da Fibria e a Eldorado, tem capacidade de produção anual de quase 5 milhões de toneladas de celulose.


Entretanto há esforços para que a celulose permaneça no Estado com estudos para que indústrias de fabricação de papel se instalem em Mato Grosso do Sul. A informação foi divulgada pelo presidente da Fiems (Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul), Sérgio Longen, durante coletiva de apresentação do Balanço das Indústrias em 2017, nesta terça-feira (19). Segundo ele, neste ano diversas empresas do papel mostraram interesse no Estado e a convalidação dos incentivos deve trazer tranquilidade e segurança jurídica para a instalação das indústrias.


Desempenho – A produção nacional de papel atingiu 9,58 mil toneladas, sendo que 4,96 mil toneladas foram destinadas ao mercado interno e 1,92 foram exportados.

 

Fonte: Midiamax (Celulose Online)